14th jan 2010

O Homem que Engarrafava Nuvens – Baião, Cinema, identidade brasileira e mídias sociais

Estréia amanha, dia 15 de janeiro, nos principais cinemas do país, o filme O Homem que Engarrafava Nuvens, de Lírio Ferreira, diretor de outros grandes filmes como Árido Movie, Baile Perfumado e Cartola – Música Para os Olhos.

O filme remonta a história do cearense, advogado, político, grande compositor e, juntamente com Luiz Gonzaga, um dos principais difusores do Baião no Brasil e no mundo: Humberto Teixeira. Enquanto deputado criou a única lei de incentivo à divulgação da música brasileira no exterior, Lei Humberto Teixeira, além de ter sido um defensor e personalidade de grande importância na criação de órgãos e movimentos em prol dos direitos autorais dos músicos.

Humberto compôs Asa Branca, Baião de Dois e Adeus, Maria Fulô, além de cerca de outras 300 músicas que eternizam e transformam em legado sua grande contribuição para a identidade cultural brasileira.

Voltando para o presente, a divulgação do filme tem sido feita previamente através do site e complementada com promoções e notícias via Twitter. Pelo canal do YouTube, é possível encontrar vídeos de músicas de Humberto Teixeira interpretadas por Chico Buarque, Carmen Miranda, Maria Bethania, Lenine, Caetano Veloso, entre outros grandes nomes da música brasileira. O filme também possui um Blog e perfis e páginas no Facebook e Orkut. O que acho engraçado, poético, irônico e genial é ver um filme bucólico e saudosista estar tão presente nesse mundo novo de mídias sociais.

Mesmo não sendo um “Filho do Brasil” nem um dos “Filhos de Francisco”, Humberto Teixeira fez o suficiente para estar nas telonas pelas mãos de Lírio Ferreira. Fica aqui a indicação, portanto: confira o trailer abaixo e programe-se para assistir o quanto antes.

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=IgxYcpwMhX8]

One Response to “O Homem que Engarrafava Nuvens – Baião, Cinema, identidade brasileira e mídias sociais”

  1. shade Says:

    Pois é, eu assisti ontem e fiquei por diversas vezes emocionada. É um documentário lindo e super interessante pra qualquer um que seja brasileiro.

    [Reply]

Leave a Reply


RSS